Fale agora

Capital próprio ou capital de terceiros? Qual é o melhor?

Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email
Share on facebook
Índice

Toda empresa que visa o crescimento de seu negócio sabe que esse crescimento vem como consequência de investimentos feitos de forma estratégica!

 

Se sua empresa está querendo fazer investimentos, mas está na dúvida se usará o capital próprio ou o capital de terceiros, você veio ao lugar certo!

 

Vamos entender o que é cada um desses investimentos, seus pontos positivos e negativos e como implementar cada tipo de capital no seu caixa e o melhor tipo de investimento que sua empresa pode fazer.

 

Então para começarmos, vamos entender o que são esses capitais.

O que é Capital próprio?

O capital próprio é tudo que a empresa consegue de recursos financeiros obtidos internamente, seja através do capital investido por sócios ou acionistas, juntamente com o valor que a empresa conseguiu através de seus esforços, ou seja, tudo aquilo que é resultado comercial.

 

O capital próprio é muito valioso pois é através dele que podemos analisar qual é de fato o patrimônio líquido da empresa, qual é o valor real que essa empresa possui em caixa.

 

Esse capital é muito utilizado quando as empresas estão começando, é o aporte inicial para que as empresas começam seus negócios para então, gerar uma lucratividade que a mantenha no mercado.

 

Para calcular o capital próprio, basta fazer a diferença de toda a quantia que a empresa possui sobre os valores das dívidas. O valor do capital próprio nesse caso se chama capital ativo, e o valor dos dividendos chamamos de capital passivo.

Quais são as vantagens do capital próprio?

Sem sombra de dúvidas, a maior vantagem oferecida pelo capital próprio é a empresa não se comprometer com uma dívida futura, afinal, ela está utilizando valores que já estão em caixa, sem a necessidade de pagar juros e outras correções para terceiros.

 

Com o ROI (retorno de investimentos) também funciona desta forma, como a empresa realizou o investimento com o capital próprio, todo o retorno sobre esse investimento também fica em caixa próprio.

 

Outro ponto muito vantajoso de utilizar o capital próprio para investimentos é a reverberação disso no mercado, ter a quantia suficiente em caixa para fazer essas operações mostra a saúde financeira da sua empresa e poderá atrair a atenção de mais investidores para o seu negócio!

Quais são as desvantagens do capital próprio?

A principal desvantagem na utilização do capital próprio é a perda de autonomia, já que com a utilização dos investimentos dos acionistas, todas as decisões sobre a utilização do valor devem ser em consenso com todos.

 

Isso pode fazer com que a empresa perca grandes oportunidades de investimento se o time de acionistas não concordar ou acatar as ideias propostas.

 

Uma outra desvantagem é a limitação dos recursos próprios, já que o capital próprio da empresa não possui reservas infinitas, fazendo com que o investimento possa acontecer de forma tímida, não dando o resultado esperado por falta de mais valores investidos.

 

Por todos esses motivos citados, vemos muitas empresas preferindo não realizar investimentos com capital próprio e optando pelo capital de terceiros.

O que é capital de terceiros?

O capital de terceiros é tudo que entra na empresa de recursos financeiros que não foram obtidos internamente, pelos sócios, acionistas ou pelo resultados sobre a comercialização ou prestação de serviço da empresa.

 

Ou seja, chamamos de capital de terceiros os recursos financeiros que a empresa consegue através de empréstimos, financiamentos, linhas ou títulos de crédito, seja através de instituições bancárias, fintechs, pessoas físicas ou jurídicas, que não fazem parte da organização.

 

Com isto posto, o capital de terceiros é um valor que a empresa solicitou e posteriormente, ela precisará realizar o pagamento do mesmo, com o acréscimo de taxas e juros.

 

Há não muito tempo atrás, as empresas tinham um certo receio em utilizar um capital de terceiros, justamente por ele vir com a estigma de dívida para as empresas, mas com o aumento das fintechs e com a desburocratização desse processo, a utilização do capital de terceiros se mostra uma saída interessante e estratégica, até mesmo para aqueles que possuem capital próprio!

Quais são as vantagens do capital de terceiros?

Se no capital próprio, a principal desvantagem é a perda de autonomia nas decisões sobre os recursos da empresa, utilizar um capital de terceiros e manter o poder de decisão se torna a principal vantagem!

 

Sem a necessidade do consenso de todo o time de acionistas, a empresa se torna muito mais autônoma para realizar o investimento mais oportuno e estratégico para aquele momento.

 

Além disso, é possível aproveitar oportunidades únicas que aparecem para investir no seu negócio e garantir a rentabilidade do seu fluxo de caixa.

 

Outra grande vantagem do capital de terceiros é que sem ele, grandes empresas não conseguiriam a alavanca principal para crescerem e se estruturarem.

Quais são as desvantagens do capital de terceiros?

A principal desvantagem do capital de terceiros é precisar pagar o valor emprestado com o acréscimo de juros e taxas. Por isso, é importante que as empresas que decidam usar o capital de terceiros façam boas negociações de valores e prazos de pagamento, para que o retorno desse valor não seja um empecilho para a empresa.

 

Também é importante controlar a quantidade de dívidas que a empresa quer assumir para não ser vista com uma reputação de alto risco pelo mercado, desta forma, perdendo grandes oportunidades.

 

Agora que você já conhece profundamente o que é o capital próprio e o capital de terceiros, suas vantagens e desvantagens, vamos entender como escolher o melhor para sua empresa!

Como escolher o melhor capital para realizar investimentos?

Existem dois pontos primordiais que devem ser analisados para realizar a melhor escolha, o ROI (retorno de investimento) e o custo de capital.

 

Para fazer o cálculo do ROI, você deve fazer a seguinte conta: (Ganho – Investimento) / Investimento.

 

O ganho neste caso representa o retorno bruto sobre o investimento, e a diferença entre eles nós chamamos de retorno líquido.

 

O ROI para empresas que optam por utilizar o capital próprio tem uma maior probabilidade de ser positivo, já que neste valor não teremos taxas ou juros a serem pagos.

 

Porém, um ROI para empresas que optam pelo capital de terceiros, tem uma maior probabilidade de ser um valor elevado, já que não há limites de caixa para o investimento.

 

Com isto em mente, sua empresa já consegue fazer o cálculo do que é mais vantajoso.

 

Já no custo de capital, para empresas que optam por utilizar o capital de terceiros, essa conta se torna óbvia, ele é o valor que deverá ser pago para o terceiro sobre o valor que sua empresa está adquirindo.

 

Para empresas que preferem utilizar o capital próprio, também há valores importantes para analisar, como o custo pela oportunidade.

 

Ele é o valor mínimo que os acionistas e investidores desejam receber pelo investimento, e quanto mais alto for esse retorno mínimo do investimento, a probabilidade da execução desse investimento diminui, já que o risco aumenta.

 

Caso você queira saber mais sobre as opções de investimento que sua empresa pode fazer, fale com nossos consultores e vamos conversar!

Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email
Share on facebook

Siga nossas mídias

Copyright 2021. Uma solução Finnet S/A.

Rua Pamplona, 145 - 1 andar